quarta-feira, 21 de maio de 2014

Caldeirada de bacalhau, amêijoas e grão

 Tenho-vos tentado trazer um pouco das minhas aventuras culinárias aqui pela minha nova cozinha londrina. É verdade que, na maior parte do tempo, me fascino com novos ingredientes e com uma panóplia de produtos que estes meus olhos (e estas minhas papilas gustativas) nunca tinham visto. Sou um excelente garfo e adoro fazer novas experiências na cozinha por isso gosto do facto de, praticamente todos os dias, ter tido a oportunidade de experimentar algo novo. As cozinhas do mundo fascinam-me e estou sempre à procura de novos sabores e aromas. Mas viver em Inglaterra, em termos culinários, não são só coisas boas. E, apesar de não me afetar muito (pelo menos ainda) o facto de existirem alguns ingredientes aos quais estava habituada e aos quais agora não tenho acesso facilmente, há pequenas coisas que custam imenso não ter. E duas delas são tão simples como o sal e o vinho branco!! Sim, é bem verdade... por aqui, o nosso sal, aquele sal grosso com que fazemos tudo nas nossas cozinhas, que custa uma verdadeira pechincha no supermercado em sacos de 1 quilo (ou ainda mais pechincha para quem, como eu, nasceu e sempre viveu numa terra de salinas), aqui não existe...ou melhor, existe e é vendido ao preço do ouro! Aqui, esses sacos de sal a que estamos habituados, são o nosso sal de mesa! O sal marítimo, grosso, é vendido em pequeninos frascos ou boiões e é caríssimo. A mesma coisa se passa com o vinho branco! Quem é o português que não tem sempre um pacote ou uma garrafa de vinho branco por casa para os seus cozinhados?! Na minha casa, isso nunca mas nunca faltou. Pois bem, por aqui também não existem esses pacotes de vinho de mesa e, os que existem, são super caros (e nem vou falar do preço do vinho em garrafa, que fico já de coração destroçado. Eu, uma fã incondicional e assumida de um bom vinho, que sempre vivi numa casa em que nunca faltavam ótimas garrafas). Pois bem, sorte a minha que, do mal ao menos, graças a uns amigos figueirenses que cá temos a viver há muito mais tempo, descobrimos que, de quando a quando, nos podemos abastecer numa mercearia portuguesa que tem todas estas coisas e muitas mais, vindas diretamente de Portugal :)  E claro, no passado fim de semana, corri para essa mercearia para me abastecer de sal e vinho branco e para beber um belo café português ;) hehe
Outra das coisas que me mete confusão aqui (e essa mete mesmo muito confesso) é o facto de existir pouco peixe fresco à venda e, aquele que há (pelo menos o que vi até agora), não tem preços nada simpáticos. Para mim, nascida e crescida em terra de mar, filha de pai que sempre passou e passa a vida a pescar, habituada a ter sempre peixe em casa acabado de sair do mar, é algo que me atormenta. E, claro está, a falta de bacalhau. Ou melhor, do nosso bacalhau! Porque cá bacalhau há muito, mas é bacalhau fresco. Eu gosto bastante até, mas não é a mesma coisa que o nosso bacalhau! E, como tal, num dia saudoso de coisas portuguesas, deixo-vos esta receitinha ainda feita em Portugal, poucos dias antes de vir e vou ficar a olhar para ela para matar as saudades :)






Ingredientes para 4 pessoas: 
2 cebolas médias cortadas em rodelas
1 pimento verde cortado em tiras finas
2 dentes de alho picados
Cerca de 500 gramas de bacalhau (usei pedaços de bacalhau congelado especial para caldeirada)
Água q.b.
Vinho branco q.b.
Sal e pimenta
1 colher de sopa de orégãos
1 colher de sopa de salsa picada
1 colher de sopa de tomilho
1 colher de chá de cominhos em pó
1 limão
2 folhas de louro
1 alheira
2 chávenas cheias de grão cozido
2 nozes de manteiga magra sem sal
1 colher de sopa rasa de mostarda Dijon
1kg de amêijoas

- Levar ao lume um tacho grande bem regado com azeite. Juntar as cebolas, o pimento e os alhos e deixar cozinhar e alourar durante cerca de 5 minutos.

- Adicionar então o bacalhau, envolver nos legumes e cobrir com 1 copo de água e 1 copo de vinho branco. Temperar com sal, pimenta, orégãos, tomilho, salsa e cominhos e adicionar o limão cortado às rodelas e as folhas de louro. Tapar o tacho e, em lume médio, deixar o bacalhau cozinhar durante cerca de 8 a 10 minutos.

- Ao final desse tempo, adicionar a alheira cortada em rodelas e deixar cozinhar por mais 2 minutos. Acrescentar mais um copo de água e outro de vinho, bem como o grão, e deixar o molho cozinhar e apurar por mais 5 minutos.

- Adicionar então a manteiga e a mostarda. Tapar a panela e deixar cozinhar por mais 10 minutos, em lume brando, até o molho apurar. Por fim, juntar as amêijoas e deixar cozinhar por mais 3 a 4 minutos, até abrirem. 

- Servir a caldeirada polvilhada com salsa ou cebolinho fresco e com fatias de pão torrado.

26 comentários:

  1. Olá!

    Que prato bem português tens tu aqui neste post!

    Por acaso nunca tinha ouvido a história do sal e dovinho branco para culinária, mas a do peixe e do bacalhau era uma constante quando tinha um casal amigo a viver na Escócia!
    Quando cá vinham era vê-los a comer peixe cozido, grelhado, frito... E levavam sempre bacalhau na bagagem! São as pequenas coisas que nos fazem falta quando estamos fora!
    Eu nunca estive a viver fora de Portugal, mas quando podia passear sentia muita falta da sopa de cá (feita em casa e cremosa), porque só via sopa estranha...
    E outra coisa que me faltava sempre era o nosso maravilhoso café!

    beijinhos para ti!

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana :)
      Sim, a questão do peixe e do bacalhau eu já sabia de antemão...mas a do vinho e do sal também desconhecia totalmente, fui apanhada de surpresa ;) hehe Mas pronto, nada que não se resolva...quando for a Portugal ou tiver por cá visitas vindas daí, já sei que as malas têm de trazer, pelo menos, bacalhau e sal (e uns enchidos aqui para a menina matar a gula váaa ;) hehehe)
      Quanto ao café, apesar de já me estar a habituar a estes "baldes" e ao café que vou fazendo e bebendo por casa ao longo do dia, faz-me muitaaa falta ainda aquele nosso fantástico (e pequenino) café :)
      Beijinhos *

      Eliminar
  2. Eu sei que na Alemanha é tal e qual este problema - têm de levar o sal aqui de Portugal.
    E só damos valor às coisas quando nos vemos sem elas, essa é a verdade. Eu dou graças aos santinhos que existam Nespresso em todo o mundo, que tenho pavor de mau café - nos EUA bebem-se banheiras de café deslavado, uma miséria!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é bem verdade querida Tekas! São pequeninas coisas, é verdade, mas estamos tão habituadas a tê-las como garantidas que só lhes damos mesmo o real valor quando nos vemos sem elas!
      E sim, aqui há Nespresso a pontapé também :) hehe Ainda não comprei nenhuma máquina de café aqui para casa mas é uma aquisição que quero fazer futuramente! Até lá, vou bebendo as minhas canecas de café feito na cafeteira e, quando saio à rua e compro um desses baldes, é sempre o Mocha...é o menos deslavado e tem um saborzinho bom a chocolate ;) hehe
      Beijinhos *

      Eliminar
  3. Acho que te posso ajudar! O sal grosso encontras como sal de mesa grosso em caixas cilindricas nao muito grandes, a precos normais, como 90p! E o vinho, que dantes nao havia tambem ja ha!! Sao em pequenas garrafas de vidro e diz table wine, tens branco e tinto, custa em media 1,20p! :)
    Ando ha seculos para ir a essas mercerias, mas como n queremos levar o carro para londres, ainda nao tivemos coragem! :)
    Quando ao prato... Eu adoro, ou nao fosse tambem eu uma fa de peixe!! :)
    O waitrose tem peixe muito bom e faz com frequencia promocoes, vai estando atenta :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida :)
      Eu já vi desse sal sim, tenho visto os preços e os tamanhos em praticamente todos os supermercados pelos quais tenho passado...mas não o comprei porque essas caixinhas trazem poucas gramas...uma libra parece que não é nada mas, para aquela quantidade de sal, acho simplesmente absurdo. Na mercearia portuguesa comprei os nossos sacos de sal de 1kg por 50p. Trouxe logo 4kgs e agora tenho muito sal para os próximos tempos ;) hehe
      Quanto ao vinho, por acaso dessas garrafinhas que falas nunca vi mas já vi aquelas pacotes de cartão pequeninos, que devem trazer a mesma coisa que essas garrafas. Quando não houver outra opção, claro que dão para desenrascar...mas, por agora, também trouxe uns litros da mercearia ;)
      Quando cá vierem a Londres tens de passar numa dessas mercearias, chegas facilmente de transportes a esta onde fui por exemplo :)
      E essa do peixe, podes crer que vou estar atenta sim ;) Ou não me chamasse eu Vânia, sempre super atenta a tudo o que são promoções, e, ainda por cima, fã incondicional de peixe, nascida e criada junto ao mar ;) ahahahahah
      Beijinhos *

      Eliminar
  4. Ora aqui está uma bela caldeira a experimentar :) beijinhos linda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então se experimentares, já sabes...quero saber tudinho ;) hehe
      Beijinhos minha linda *

      Eliminar
  5. Minha linda, já sabia que havia alguns ingredientes que para nós são básicos mas que em muitos sítios simplesmente não há, mas o sal!!!! Bem, que trauma :(
    Espero que a adaptação esteja a correr pelo melhor.
    Do nosso café pequenino eu também sentiria muita falta, sei que sim. Nada me agrada mais que um shot de cafeina :D

    Em relação ao prato, tem um aspecto delicioso. Parabéns!
    Aguardo mais aventuras em terra de Sua Majestade.
    Beijinhos
    Cláudia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá querida Cláudia :)
      Tirando estes "pormenores" aqui e ali, a adaptação está a correr bem melhor do que eu esperava até :) ... Se bem que com os meus (antigamente tão habituais) pequeninos shots portugueses de cafeína diários, tudo seria bem mais fácil ;) hehe
      Vou trazendo muitas mais aventuras por estas terras de Sua Alteza ;) Fica atenta :)
      Beijinhos grandes *

      Eliminar
  6. Olá querida,
    Adoro esta tua combinação bem portuguesa sim e magnífica e convidativa.
    Olha, o vinho é mesmo muito caro nestas terras, por causa do imposto, aliás, todo o álcool se reparares, é caríssimo . O sal, eu também acho caro sim, mas com o tempo habituaste e olha que aqui não é como aí em Londres que tens lojas portuguesas para te abasteceres. Aqui oura e simplesmente não existem.
    O peixe, isso sim, é também o meu dilema, pois uma terra rodeada por mar e cheio de peixe, é uma desgraça em termos de preços de peixe e qualidade, pois só vendem praticamente a porcaria dos filetes, mas eu agora tenho sorte, pois tenho aqui uma peixaria que abriu e quando quero peixinho inteiro vou lá e encomendo à senhora.
    Beijinhos linda,
    Lia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida Lia :)
      Sim já reparei que todo o álcool é caríssimo...mas a mim só mesmo o vinho é que me faz falta ;) hehe E quanto ao sal, felizmente tenho a sorte de ter uma dessas mercearias portuguesas aqui bem perto e agora já sei onde me hei-de ir sempre abastecer destas coisas, enquanto não conseguir ir a Portugal buscá-las ;)
      E olha, o peixe, é isso mesmo, a triste história que já sabemos...tens sorte de ter agora essa peixaria, eu com o tempo tenho a certeza de que também hei-de acabar por encontrar a minha ;)
      Uma mercearia portuguesa seria portanto um excelente investimento e negócio aí pelos teus lados já estou a ver ;) hehe
      Beijinhos grandes *

      Eliminar
  7. Vânia, este prato é mesmo o meu tipo ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Em pequenina não gostava de bacalhau, só recentemente é que comecei aprecia-lo. Desta maneira é que ainda não o comi, não tem nada mau aspecto. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;) hehehe Não tem nada mau aspeto e sabe bem ;)
      Beijinhos *

      Eliminar
  9. Realmente às vezes não damos valor às pequenas coisas que damos como certas na nossa vida. Sal e vinho branco para um prato que todo ele é Português e que ficou com um ar muito apetecível. Bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem verdade Pimentinha, e só damos valor quando, de repente, nos vemos sem elas...
      Beijinhos *

      Eliminar
  10. Nunca ousei fazer algo assim, sou medrosinha da Silva, vê se pode. Tenho amado teus posts. O anterior com aqueles frutos do maaar nhaaaaami já quero! rs

    www.vivapaulatinamente.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Paula :)
      Fico muito feliz por estares a gostar das minhas receitas e de conhecer este meu cantinho :) Volta muitas e muitas vezes, és sempre bem-vinda sim? ;)
      E quanto ao prato, tens de experimentar e ousar ;) hehe
      Beijinhos *

      Eliminar
  11. Que seca :P Isso é incrivelmente chato, coisas a que uma pessoa está habituada... Como quando fui a Espanha e queria fazer chilli e só havia molhos de tomate esquisitóides... e não havia pão redondo... aliás, fui lá passar 1 mês e esqueci-me de levar balança de alimentos (génio, eu sei...). Tive de pedir uma ao senhorio... (um casal simpático, por acaso... até lhes levei umas fatias generosas de bolo para agradecer ;)).
    Isso tem muito bom aspeto... Deve ser uma dor de alma olhar para as fotografias...
    .... já agora, por aí não confundem portugal com espanha? Hoje estava a ver uma série inglesa e irritei-me profundamente... havia duas mulheres, uma espanhola e uma portuguesa, e depois as personagens trocavam todas o portugues e o espanhol, e até chegaram a dizer que "elas se percebiam porque falavam a mesma língua"! Mas nem foi para ser uma piada, o que é mesmo irritante! :P
    (já agora, quando na segunda feira estava a correr até casa com um portefólio na cabeça a tentar proteger-me de uma chuva mesmo forte enquanto de manhã estava um céu mesmo clarinho (razão pela qual não levei guarda-chuva; note to self- confiar na previsão do tempo :P)... lembrei-me de ti. Como é que aturas essas inconstâncias? :P)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes crer Avelã! Uma pessoa só dá realmente valor a algumas coisas quando deixa de as ter...principalmente àquelas pequeninas coisas, às quais já estamos tão habituadas que já damos por garantidas... mas pronto, uma pessoa tem de se habituar e eu considero que tenho uma boa capacidade de adaptação ;)
      E sim, o que tu dizes de confudirem Portugal com Espanha não é anormal de todo...mas, por acaso, ainda não me aconteceu diretamente...
      E em relação ao tempo (adorei a tua descrição do momento em que te lembraste de mim, refira-se...hehehe)...uma pessoa acaba por se habituar...mas eu ainda não me habituei :P hehe
      Beijinhos *

      Eliminar